Menu Fechar

Comissão de Combate ao Cancro (BECA)

No dia 4 de fevereiro de 2020 a comissão europeia lançou a iniciativa “Plano Europeu de Luta contra o Cancro”. Foi aberta uma consulta ao público e entidades europeias sobre quais as ferramentas e legislação que a União Europeia podia adotar para combater o cancro na europa.

Sendo o tabagismo uma das principais causas de cancro na Europa, prevê-se que, eliminando o consumo de tabaco, cerca de 90% dos cancros do Pulmão seriam prevenidos. Neste sentido, considera-se essencial apresentar alternativas menos prejudiciais ao tabaco, para fumadores que não querem ou não conseguem deixar de fumar. Na persecução deste objetivo, vários peritos científicos, consumidores e associações que defendem a implementação de produtos de risco reduzido, tais como Vaporizadores Pessoais, produtos sem combustão e Snus, enviaram a sua opinião e posição sobre a inclusão desses produtos como uma ferramenta valiosa para combater os danos causados pelo tabaco.

No dia 2 de dezembro, a Comissão de combate ao cancro, do qual a Euro deputada portuguesa Sara Cerdas é vice-presidente,  reuniu-se em Bruxelas, no parlamento europeu (dado ao panorama pandémico atual, a maioria participou por videoconferência)  para ouvir vários especialistas na prevenção do cancro, com enfoque nas causas inerentes ao estilo de vida.

Pensem na grande proporção de fumadores que não querem ou conseguem alcançar a cessação tabágica. A redução de dano por meio mudança completa para produtos de baixo risco, como vaporizadores pessoais e produtos sem combustão é uma melhor opção do que continuar a fumar.

Dr. Nataliya Chilingirova:

Não existe nenhum cenário em que os vaporizadores pessoais causem mais dano que os cigarros convencionais.

Dr. Peter Liese, MEP citando a WHO

Pare de fumar, é fácil de dizer, mas para quem tem adição é muito difícil parar. É por isso que penso que temos de ser mais abertos em relação aos vaporizadores pessoais. Ou pelo menos temos de garantir que os vaporizadores pessoais não são mais difíceis de obter do que o tabaco.

DR. Peter Liese, MEP

A APORVAP, através dos seus parceiros da WVA, também se fez representar em Bruxelas, participando numa “manifestação” adequada ao contexto da pandemia, durante a qual foram expostos vários cartazes em tamanho real, de diversos apoiantes da petição “Back Vaping. Beat Cancer”. Esta Petição pretende, no plano de combate ao cancro, que os fumadores sejam ouvidos e que a vaporização seja incluída como uma ferramenta de redução de risco para fumadores.

Artigos Relacionados